A LUSH vai nos deixar mas você não precisa se desesperar

A Lush, empresa de cosméticos naturais e produção fair trade, anunciou ontem que vai encerras suas atividades no Brasil.

Sim, a empresa britânica colocou a culpa na alta carga tributária do nosso país mas talvez os motivos possam ser outros. A Istoé Dinheiro publicou uma matéria esclarecendo alguns aspectos sobre a briga judicial que a marca tem aqui mesmo, em terras brasileiras. Nem mesmo a fábrica com 44 funcionários irá continuar suas operações. 

Eu sei quem faz minhas roupas: África do Sul

Essa é a história de uma viagem de férias para a África do Sul que acabou sendo promovida a trabalho. Isso porque o QFSR é aquele trabalho que dá gosto de fazer. Geramos muito conteúdo por lá sobre consumo consciente, consumo em viagens e moda ética e justa. E hoje quero mostrar um resumão dos melhores looks do bem que rolaram por lá.

Eu sei quem faz minhas roupas: F8 (Cape Town) + PAR

Se você acompanhou nosso último post aqui no blog, já sabe que está rolando novidade por aqui. Agora temos um CANAL NO YOUTUBE (clique aqui para conhecer e se inscrever). Isso mesmo, estamos ampliando os nosso horizontes e entrando no mundo do audiovisual também, hahaha.

No vídeo eu dividi com vocês um pouquinho da minha conversa com a Liezel da F8 top que faz as jaquetas mais lindas que eu já tive o prazer de ver, e vestir. Apaixonei tanto no trabalho dela que acabei trazendo uma para passear comigo aqui no Brasil, haha. E é claro que eu tinha que dedicar um post todinho para ela, já que são muitos detalhes.

QFSR viaja: África do Sul + vídeo!

Nos últimos tempos, a África do Sul tem se tornado um destino queridinho dos brasileiros, principalmente por conta da valorização da nossa moeda em relação a deles. Sim, pessoal, sabe gringo aqui no Brasil? É como você vai se sentir por lá, já que 1 real vale aproximadamente 4 rands. Mas é AÍ que mora o perigo, já que expectativas de compras começam a surgir nesses coraçõezinhos.

Eu sei quem faz minhas roupas: 1 peça e 2 looks (+ cupom desconto)

Essa sessão do blog tem como objetivo mostrar que É POSSÍVEL se vestir bem e de forma consciente. Aqui eu quero contar que eu sei quem faz minhas roupas, e para que isso fosse possível não precisei mudar meu estilo.

Uma coisa que tenho percebido ao longo desses meses de mudança é que além de melhores escolhas, mais preocupadas com o meio ambiente e com a forma de produção, nós também devemos nos preocupar em comprar menos e melhor. Otimizar nosso guarda-roupas, sabe?

Review Slow Living: um incentivo para desacelerar

Uma das coisas que estou tentando trabalhar durante esse meu processo de mudança é parar de viver esperando a sexta-feira, o feriado ou as férias para ser feliz. É um processo árduo, mas venho sentindo progresso e aos poucos estou tentando vibrar com nossas, normalmente não gratas, segundas-feiras.

Além disso, desde o surgimento do blog na minha vida, estou sempre em busca de novas páginas que tenham relação com produção justa e slow. Em uma dessas buscas eu conheci a Review Slow Living.

Como comprar com consciência em viagens: São Paulo (parte 1)

São Paulo é um lugar curioso. Aquele clássico tem de tudo. Do lixo ao luxo. Do over ao cool. Do fast fashion ao ético.

Eu amo essa cidade, e apesar de não ter um apelo turístico como o Rio, sei que tem muita gente que curte passear pela terra da garoa. Além da galera que vive aqui mas acaba não conhecendo tudo que essa cidade incrível tem para oferecer.

Vamos começar por Pinheiros. O bairro é parada obrigatória para quem gosta de uma pegada mais slow life e moda ética. Separei três dicas imperdíveis que podem ser o roteiro de um dia todo por lá.

Como comprar com consciência em viagens: Nova York

Eu tentei, realmente tentei encontrar boas opções de compra consciente em Nova York. Mas preciso admitir para vocês, acho que vou ter que voltar lá algumas vezes ainda para descobrir (desculpa esfarrapada, será? haha). De fato, todas as pechinchas e bons negócios que eu encontrei se limitavam a produtos vindos dos clássicos: China, Índia, Sri Lanka, Bangladesh e por aí vai.

Por esse motivo esse post não é para o contar o que eu comprei. Nele eu vou tentar te convencer a aproveitar mais os momentos e menos as coisas nessa cidade maravilhosa!