Apresentando: O Francês Gravataria

Conheci a empresa de hoje durante os preparativos para o nosso casamento. Era muito difícil encontrar uma gravata bonita e exclusiva para o Eric em lojas físicas, então, em minhas buscas incansáveis, acabei encontrando O Francês Gravataria.  E a partir de hoje essa será a gravataria que você respeita, e eu vou te contar por quê.

o frances
ph: Alex Bernardo

Apresentando: Les Collines

Eu sempre pratiquei esportes e usar roupas que representassem isso sempre foi minha marca registrada (quem me conhece sabe bem, haha). Pensando em fugir das multinacionais poderosonas e clássicas que dominam o mundo dos esportes, me deparei com a Les Collines.

São tantas qualidades que vai até parecer propaganda.

O design é lindo, a qualidade é inegável e a produção é responsável – pode ser melhor?

Blog de cara nova!

Quem por aí percebeu que o blog está de decoração nova desde ontem?

É isso mesmo, eu queria algo original, artesanal, lindo e que representasse tudo que estou tentando dividir com vocês por aqui em uma imagem. Mas essa história começa há algum tempo…

Há mais ou menos um ano atrás, em um domingo qualquer, conheci a Andressa na Avenida Paulista vendendo suas aquarelas em uma espécie de bicicleta muito charmosa.

Apresentando: Hey Bag!

Comprei minha primeira Hey Bag no início desse ano através do e-commerce da marca, após inúmeras experiências frustrantes com bolsas de couro fake de marcas conhecidas por aí.

bolsa-hey-bag

Logo de cara já me encantei com alguns pontos da marca, como:

  • Atendimento ao cliente super pessoal – pelo WhatsApp;
  • Site fácil, claro e lindo;
  • A delicadeza e gentileza no momento da entrega;
  • Qualidades dos materiais – a Hey Bag só trabalha com couro legítimo;
  • E por último, mas não menos importante, os produtos lindos e atemporais da marca.

Apresentando: Âmago Concept

A Patrícia foi uma das produtoras com quem eu mais gostei de conversar nessa minha busca sobre marcas e pessoas incríveis por esse mundo. Principalmente depois que ela me contou que já comprou muito por impulso nessa vida. Gente como a gente, pessoal! É assim que eu gosto.

Agora, mais madura e curada (haha), a Pati (podemos chamá-la assim) se esforça para estimular outros sentimentos e atitudes em suas clientes.

Apresentando: Quem faz minhas roupas?

Há um pouco mais de um ano atrás comecei a repensar minha forma de consumo, e se você me perguntar o porquê eu não tenho certeza do que responder, simplesmente algo despertou e me fez entender que deveria mudar por alguns motivos diferentes.

Começou com a valorização do trabalho das pessoas, comecei a pensar em quanto vale o meu trabalho no sentido mais simplista da palavra, o quanto vale eu sair da minha casa todos os dias para fazer algo que muitas vezes vai exigir, inclusive, esforço físico da minha parte. Depois disso comecei a pensar o que pessoas ganham por dia para nos manter quentes e confortáveis por um preço muito baixo. Não, eu não acho que devemos pagar uma fortuna para nos vestir (e você verá isso mais para frente) mas acho sim que se uma camiseta custou menos de R$10 alguém trabalhou quase de graça para fazê-la (não se engane).