4 percepções sobre Minimalism

minimalism

Vamos fazer uma auto-avaliação? Come on! Eu não confio em pessoas que acham que tudo está perfeito e que já dão o seu melhor para o mundo. A dica de hoje é ótima para isso.

Uma das primeira coisas que venho tentando mudar é sobre pensar 2 vezes, ou melhor 3 (para quem já conhece a minha regra do 3×3) antes de comprar, falo sobre isso nesse post e nesse também. Pensando nisso, resolvi assistir o documentário produzido pelo The Minimalist e exibido no Netflix chamado MINIMALISM e aqui estão minhas..

Para quem ainda não viu, recomento que veja. O documentário conta a história de dois amigos que resolvem mudar radicalmente seus estilos de vida e passam a viver com muito pouco – só o essencial (de verdade) e registram tudo em um blog. A produção ainda mostra algumas outras pessoas que também mudaram suas vidas e alguns estudiosos ou pesquisadores falando um pouco de comportamento e consumo.

Toneladas de roupas são picotadas, sim PI-CO-TA-DAS em cada troca de estação.

Não seria egoísmo das empresas? Essas roupas não poderiam ser doadas para quem precisa? Não, não podem e você sabe porquê? Porque nós não iriamos pagar os valores exorbitantes cobrados pelas grandes marcas para usar as mesmas roupas que um morador de rua, e você sabe que isso é a mais pura verdade. Então no final das contas nós pagamos cara pelo o que usamos e também para suprir o prejuízo da empresa que jogou tonelada de roupas no lixo ao final de cada coleção, a propósito – mais lixo. Triste!

Que dinheiro não compra felicidade todo mundo já sabe você já ouviu falar.

Que muitas pessoas têm o péssimo hábito de comprar pelo simples prazer ou para suprir alguns problemas emocionais (eu mesma já fiz muito isso), você também sabe.

Porém essas atitudes além de não resolver nossos problemas, podem causar a nossa destruição, tanto ambiental quanto emocional. O efeito é meio ao contrário sabe? Tipo o açúcar, primeiro nos dá um boom de energia e depois nos consome (foi a única coisa que veio na minha mente, em quanto devoro um cookie delicioso, hahaha).

Mais do que isso, o que seria uma vida perfeita? Já virou clichê dizer que nas redes sociais só apresentamos o belo, o melhor, o creme de la creme e sinceramente não vejo nada de errado nisso, até porque ninguém gosta de quem fica reclamando em redes sociais. Além disso,  o instagram, por exemplo, serve como um álbum virtual, você revelava suas fotos chorando ou feias para por nos seus álbuns nos anos 90? Não, então não deve fazer isso agora também. Porém não use a vida dos outros como referência para sua, não almeje ou deseje algo que você não conhece a verdadeira realidade, pare de idealizar algo e corra atrás do possível e palpável.

O documentário traz essa reflexão de forma leve e sutil, sem jogar nada na nossa cara (gosto assim).

Talvez o highlight do documentário para mim, principalmente por causa do blog.

O projeto 333 nada mais é do que usar apenas 33 peças durante 3 meses (uma estação) e não comprar nada durante esse período. Você pode trocar, pegar emprestado, usar a criatividade só no não pode comprar. Achei uma ótima ideia de ponta pé inicial para as mais consumistas. Se vocês quiserem podemos falar mais sobre esse projeto, deixem comentários!!! haha.

Bom, essas foram as minhas percepções sobre MINIMALISM mas eu sugiro que você também assista e assim podemos conversar mais sobre, o que acha?

  • Minimalism: A documentary about the important things
  • Duração: 1h 18m
  • Direção: Matt D’Avella
  • Classificação do QFSR:  

 

 

 

Você também pode gostar de

2 Comentários

  1. O documentário é mesmo incrível!
    Achei ótima a forma como eles abordaram os assuntos. Nada muito “jogando na cara” e mostrando também as dificuldades nessa transicao “minimalist”, por exemplo num ambiente familiar.
    Vou tentar também o Project 333 😉 Com certeza, uma ajuda muito boa pro comeco dessa jornada menos consumista!

    Beijo!

    1. Verdade Dani, achei que conseguiram mostrar as dificuldades porém sem desestimular, tipo “não é fácil, mas também não é impossível”, haha.
      Que legal que você está pensando sobre o projeto 333, se rolar mesmo vou querer um testemunho depois, combinado?

      Beijinhos e uma ótima semana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *